Violonista e compositor, João Teixeira Guimarães, o João Pernambuco, nasceu em Jatobá, atualmente município do sertão de Pernambuco, em 1883. Aos 12 anos de idade mudou-se para o Recife, onde trabalhou como ferreiro.

Em 1905, foi tentar ganhar a vida no Rio de Janeiro, onde tornou-se funcionário público e logo ficaria conhecido nas rodas de choro e boemia cariocas. Foi um dos primeiros músicos a levar o som sertanejo para as grandes cidades.

Gravou seu primeiro disco em 1914. Autor de dezenas de canções (entre ritmos nordestinos, salsas e chorinhos), não registrava suas músicas porque não sabia escrever, era analfabeto. Entre seus admiradores estava o compositor Villa-Lobos que, certa vez, o advertiu: "João, você tem que registrar suas músicas, elas são maravilhosas".

Por não registrar suas criações, João Pernambuco acabou gerando várias polêmicas, entre as quais a famosa discussão em torno da autoria da canção "Luar do Sertão", que Catulo da Paixão Cearense registrou como sua mas que, na verdade, foi composta por Pernambuco.

O violonista Leandro Carvalho (estudioso da obra de João Pernambuco e organizador do CD "João Pernambuco - O Poeta do Violão", 1997) diz: "Pôr onde João andava, Catulo estava atrás, anotando tudo; foi o que aconteceu com Luar do Sertão: Catulo ouviu, mudou a letra e disse que era sua".

O primeiro grupo formado por João Pernambuco também foi centro de polêmica: um dos membros dissidente fundou outro grupo musical, botou o mesmo nome e começou a se apresentar pelo Brasil. Outro grande sucesso do compositor foi a canção "Cabocla". Morreu no Rio de Janeiro, a 15 de janeiro de 1948.